COMUNICADO



Queridos frequentadores desta birosca
brenfoetílicomusical, só há pouco percebi que o blogger -seja por algum bug ou mesmo por desabilitação da funcionalidade- não está mais notificando a entrada de comentários através do e-mail associado ao blog.
Desta forma, liberei todos os comentários represados desde junho/2018 e os responderei com a celeridade possível.
Minhas mais sinceras desculpas pelo ocorrido e, no mais, sigamos fazendo...
MUUUIIITTTAAA FUMAÇA!!!

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

JACK BROADBENT

Jack Broadbent vem sendo constantemente saudado como nova sensação do slide guitar. Exageros à parte, seu trabalho obteve merecido destaque mais por uma carreira gerida como um busker - um dos termos em inglês para designar artista de rua- que, talvez, por acrescentar novidades técnicas e/ou estilísticas ao gênero. Suas peformances incendiárias em ambientes públicos ao redor do planeta, geralmente só mas eventualmente acompanhado por seu pai baixista, acumulam milhões de visualizações no Youtube, que ele magistralmente  utiliza como principal ferramenta de marketing há mais de 15 anos. Em paralelo, com o dinheiro arrecadado nas ruas, este britânico natural de Lincolnshire, de recém-completados 30 anos, vem lançando EPs e álbuns, sempre registrados em turnês e valendo-se apenas de um poderoso mini-gravador Zoom H4n, tendo como 'estúdio' quartos de hotéis, lanchonetes, becos, etc
É claro que, com o sucesso de suas bombásticas apresentações públicas, não tardaram a surgir convites para apresentações formais, a princípio em pequenos espaços mas logo abrindo para nomes do quilate de Lynyrd Skynyrd, Tony Joe White e Robben Ford e, posteriormente, em incessantes turnês mundias e o roteiro de festivais europeus, incluindo apresentações consagradas em Montreux.  


Nesta postagem, trago 4 dos 5 trabalhos lançados por Broadbent, onde ele nos brinda com um mix envenenado de folk/roots/blues -autorais e standards- emoldurados por uma tão bela e vigorosa quanto suja técnica de slide, em que costuma substituir o tradicional bottleneck por um cantil de bolso. Ficou de fora apenas seu primeiro trabalho, e único registrado com algo próximo de uma banda completa, 'Public Announcement', de 2013, infelizmente muito difícil de encontrar boiando na rede. Talvez por ser o único lançado por uma gravadora, já que todos os demais foram lançados por selo próprio. Jack Broadbent é um belo exemplo de músico que deu certo sendo completamente dono de sua carreira. Uma carreira com a qual todo artista de verdade sonha: sem concessões e, ainda assim, lucrativa. 













Nenhum comentário: