COMUNICADO



Queridos frequentadores desta birosca
brenfoetílicomusical, só há pouco percebi que o blogger -seja por algum bug ou mesmo por desabilitação da funcionalidade- não está mais notificando a entrada de comentários através do e-mail associado ao blog.
Desta forma, liberei todos os comentários represados desde junho/2018 e os responderei com a celeridade possível.
Minhas mais sinceras desculpas pelo ocorrido e, no mais, sigamos fazendo...
MUUUIIITTTAAA FUMAÇA!!!

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

THALLES

Resultado de imagem para thalles cabral.com.br

Noite dessas, enquanto me preparava para dormir, logo após assistir pela enésima vez o fantástico DVD 'Live Love In London', da King's X, fui surpreendido por uma sonoridade delicada, como que a acalmar meus neurônios após as quase 2 horas de pancadaria sonora despejada por Pinnick, Tabor & Gaskill, que saltava dos falantes da TV, sintonizada no simpático canal Music Box BR, dedicado exclusivamente à música brasileira, principalmente a produzida de maneira independente. E a música era tão cativante, com uma letra -em inglês perfeito!- extremamente bem elaborada, e o clipe tão surpreendentemente simpático, que sentei-me novamente no sofá para sorver aquele momento em sua plenitude enquanto ansiava por descobrir o nome do responsável por trabalho tão bonito, apenas para buscar conhecê-lo melhor e direto da fonte. Thalles...assim mesmo, apenas Thalles era seu nome. E a joia que tanto fascínio me provocou, 'Sad Boys Club'.
No dia seguinte, corri atrás de mais material do jovem e, tudo levava a crer, talentoso rapaz mas só me deparava com um 'gritador' evangélico. Definitivamente, não era quem eu procurava. Filtrando um pouco mais, cheguei a um tal Thalles Cabral, jovem e já prestigiado ator de teatro, cinema e TV gaúcho de PoA, além de compositor, cantor, multi-instrumentista e videomaker de, apenas,  24 anos. E não é que era o cara?!?! E já com um EP, o cru mas servindo muito bem como cartão de visitas, 'That's What We Were Made For', de 2013, e o catártico 'Utopia', uma pequena pérola lançada em 2017 que passou totalmente desapercebida, até mesmo pelos que, como eu, clamam por boa música autoral no país. 
E a surpresa não acaba aí. O rapaz é um verdadeiro prodígio, passeando com desenvoltura por várias mídias e com uma maturidade autoral de impressionar qualquer apaixonado por música, não importando o gênero desde que feita com amor. Com um belo timbre -um amálgama de Chris Isaac com Hozier-, Thalles emoldura sua voz com arranjos impressionantemente belos, tão minimalistas quanto extremamente elaborados, mostrando claras influências, de Radiohead ao já citado Hozier, para criar uma personalidade própria e indelével. Mas não faltando coros grandiosos e com naipes de cordas em profusão. Destaques ficam difíceis de serem apontados pois quando começo a ouvir 'Utopia', tal qual uma obra conceitual, é impossível tirá-lo do player...é atual, rebuscado, sombrio, envolvente, cativante, bem timbrado, exemplarmente produzido e...pop! Como todo pop deveria ser...
















4 comentários:

LUIZ CARLOS disse...

Rapá
Os comentários no primeiro video, You Ocean, me fez pensar que estava no meio de um fanclube do Justin Bieber,
Que qué isso meu amigo? com tantas e tantas bandas e artistas pra vc apresentar pra GaLLera, tu me vem com esse Fábio Jr. cantante em lingua de Shakespeare

Anônimo disse...

oLÁ, BT, Tudo bem?
Gostaria de saber se seria possível fazer aqui um pedido?

Edson d'Aquino disse...

Luiz Carlos (sic),
Não li os comentários de nenhum vídeo mas, em meu texto, deixei claro q o objeto da postagem é, além de um excelente cantor/compositor, ator. Valeu por participar, mesmo que ainda um tanto malcriado...ao menos, desta vez, resolveu ater-se à postagem ao invés de bostejar.
[]ões

Edson d'Aquino disse...

Opa...qual o pedido? Se puder atendê-lo, o farei, com certeza.
[]ões